terça-feira, 11 de dezembro de 2012




"A menina que fui volta sempre em Dezembro. Com vontade doida de construir pontes de um coração a outro. Vontade de chegadas, muito mais que partidas.

E sempre que chega Dezembro, ela se esquece dos medos, das quedas, dos embaraços da alma e sente que uma coisa nova nasce dentro dela, pura e bonita. E deixa pra lá os traumas, as angústias, só porque é Dezembro e o Natal tá logo aí. Só porque tem esperança brotando em cada rua, em cada enfeite, em cada luz. Porque nasce com ela, em Dezembro, essa vontade louca de ver tudo melhorado, com olhos esticados de esperança."


Cris Carvalho