terça-feira, 15 de julho de 2014



"Estava uma bagunça dentro de mim, então resolvi organizar. Mas meu coração estava tão empoeirado que levei dias para colocar tudo no lugar. Coisa sobre coisa, razão sobre razão, medo sobre medo..

Enfim, tudo no seu lugarzinho. E eu tão formal. Tão racional. Quando estava assim, organizada, alguém bate a porta e só de bater, já derrubo algo. Espio e vejo que é visita. Não escancarei a porta, apenas o suficiente para enxergar meus olhos.
Mas ele, todos os dias, faz a sua visita e eu abro mais um pouco. E ele me diz " Pra quê o medo da bagunça?"

E ele faz promessas, e me olha de um jeito que ninguém nunca olhou. E eu me sinto instigada a convidá-lo a tomar uma xícara de chá. Eu vou deixá-lo entrar.
Por que é, meu Deus, que tem que ser assim?

Quando a bagunça acaba e agente cuida do que ficou destruído. Quando tudo enfim ocupa seu lugar, vem alguém querendo entrar?"

Por Jennifer Javorski Cabral