segunda-feira, 14 de abril de 2014

Você está em busca de que?


 Você quer ouvir uma poesia, eu sei uma piada. E você não acha graça da minha piada, mas estou sem saco para poesia. Não entendo nada de Futebol e não assisto muito a televisão, então suponho que não poderei comentar sobre os recentes acontecimentos das novelas. Não leio jornais, nem Revistas e não saberia dizer como acabou aquele último super casamento que foi tão falado. Mas tenho aqui no bolso um papel, tem umas coisas que escrevi há uns dias atrás enquanto olhava da janela do avião para as pessoas que vagavam pela superfície da terra. Não sei se isso é relevante pra ti, mas talvez esse não seja o melhor momento para um silêncio entre nós dois. Enquanto observava a humanidade em trânsito e de certa forma me vi distante por estar voando, pensei... O que eles esperam da vida? O que querem? Quem são? Quais os Objetivos? Sonhos? Medos? Quais as maiores dúvidas, anseios e segredos?
Bobagem minha achar que você se interessaria por filosofia de janela de avião nesse nosso primeiro encontro, mas é que não sei se sou capaz de ficar em silêncio diante destes olhos tão atentos. Talvez fosse melhor não dizer realmente nada e esperar que alguém postasse algo na sua rede social, assim você poderia compartilhar comigo algum assunto divertido e a gente poderia dar umas boas risadas. O que acha? Você não usa Rede Social? Não está no Facebook? Como assim? Você não tem e-mail e nem computador? Como assim? Você não usa nem telefone celular? Como assim? Como te encontro novamente, se a gente decidir por mais um dia nessa vida?
Ela olhou e deu a seguinte resposta: Eu te encontro, se eu quiser.
Quem quer ser encontrado sempre deixa pistas.

 Por Tico Santa Cruz.