sábado, 31 de outubro de 2015




"Então é isso: acabou. Acabou antes mesmo de começar, mas mesmo fez um efeito devastador. 
Acabou quebrando promessas impossíveis, mas que em nossas mãos tinham uma textura tão real que parecia até imaginável. Abriu o mapa, indicou novos destinos, mesmo o nosso caminho agradando nas paradas em que necessitávamos. 
Acabaram as tentativas, as palavras bonitas e as madrugadas em claro tentando manter acordado algo que nem sabíamos. 
E enfim, achou-se o fim do labirinto, mas a saída não pareceu alívio. Fez doer e a dor da partida se igualou com a dor de ficar. Mapa rasgado, tentativas falhas, dor acumulada e a vontade de voltar. Voltar para que você me segure em braços firmes e sussurre em meu ouvido que está para me segurar como fazia antes da pagina acabar. 
E talvez isso só seja falta de superação gritando em meus ouvidos tão acostumados com sua voz preguiçosa, mas é que o amor protesta e tudo que posso fazer é sentar e esperar que ele se acalme quando finalmente se der conta de que você não irá retornar. Bobinho, ainda acha que é o único necessário para fazer algo durar."

Por Poiessis