quarta-feira, 9 de setembro de 2015

Fazer o bem sem olhar a quem ...





Aprendemos que a vida

nos retorna o bem que fazemos

como o espelho retorna

nossa imagem.

Aprendemos ainda que fazer

o bem é plantar flores nos

caminhos pelos quais passamos

e que um dia chegará o

grande dia da ceifa,

onde nossas cestas estarão

repletas dos frutos de tudo

o que plantamos.

O que talvez não tenhamos

aprendido completamente é que

se podemos escolher

nossos amigos,

não podemos escolher

os alvos da nossa atenção.

Quem tem uma necessidade, 

tem uma necessidade aberta 

a todos e não somente aos que 

estão próximos dele.

Fazer o bem a alguém 

não é dar e considerar 

isso como uma dívida, 

mas distribuir e continuar 

seu caminho, 

sem olhar para trás para ver 

se o outro ficou agradecido.

Nosso coração se aquece 

quando recebemos de volta 

um olhar agradecido, 

mas quem nos agradece 

verdadeiramente é Deus.

Não faça algo por alguém 

que precisa de você simplesmente, 

mas por alguém que precisa. 

Não podemos julgar as 

pessoas merecedoras ou 

não dos nossos favores.

Quando nosso coração é generoso, 

ele fecha os olhos e oferece-se, 

ele se abre para quem o magoou 

e para quem o amou e também 

para quem o olhou de 

maneira indiferente.

Quando Jesus nasceu, 

foi para todos e quando morreu 

o amor confundiu-se com 

perdão no Seu coração... 

quando ressuscitou abriu as 

portas do paraíso para quem 

caminhou ao lado dele, 

mas também para quem 

O chicoteou.

Fazer o bem sem olhar a quem 

é ver todas as pessoas 

de maneira igual, 

é dar um pedaço de pão, 

um agasalho, 

dar atenção e oferecer perdão.

Há pessoas que precisam 

de comida e de teto, 

outras têm mais do que 

podem gastar.

Mas não existe quem não 

precise de nada e não existe 

quem nada tem para oferecer.

Aqueles que possuem 

a luz de Cristo, 

a possuem e irão iluminando 

todos os caminhos por 

onde passarem.


Por Letícia Thompson