sexta-feira, 30 de novembro de 2012

 
"Quando sinto saudades de você,
Isso não é medido pelo tempo em que fico sem te ver,
ou pelo tempo desde que nos falamos pela última vez.
Sentir tua falta acontece naquele exato momento em que
estou fazendo algo e desejando que você estivesse
bem ali junto comigo."

 
Onde clica para abraçar quem está longe?!

quinta-feira, 29 de novembro de 2012


“Minha felicidade tem nome, sobrenome, endereço e, diga-se de passagem, um sorriso perfeito.”

terça-feira, 27 de novembro de 2012

 
"A vida é a arte do encontro, embora haja tantos desencontros pela vida."  

 Vinicius de Moraes

" A Voz da Felicidade", de Luís Fernando Veríssimo




Alô?
- Aqui fala a Voz da Felicidade. Quem fala aí?
- Como?
- Aqui fala a Voz da Felicidade. A voz que leva a alegria ao seu dia-a-dia. Amaro Amaral, o rei do dial. O que está nas ondas e não é surfista, está no fio e não é equilibrista. O que leva a sorte ao seu lar pelo ar.
- Eu não estou entendendo...
- Como é o seu nome?
- É... é...
- Você não sabe o seu nome? Já vi gente mal-informada, mas a senhora leva o prêmio, hein?
- Não, é que...
- Não leve a mal. É Amaro Amaral, o homem do coisa e tal. Alegria não paga imposto. Diga lá. Já lembrou o seu nome?
- É Maria.
- A da sapataria? Estou brincando. Coisa e tal. Bom-dia, dona Maria!
- Bom-dia. Eu...
- Quando é que a mulher tira a roupa mais depressa?
- O quê?
- É uma charada, dona Maria. Responda num minuto e ganhe um colchão Celeste, nuvem anatômica. O relógio está correndo. O relógio está fazendo Cooper. A senhora tem 40 segundos.
- É que... Estou meio...
- Trinta segundos, dona Maria. O relógio foi correndo até a esquina e já está voltando. A senhora estava dormindo, dona Maria? A essa hora? Que voz de sono! O sol está brilhando e Amaro Amaral está cantando. "O sole mio, e coisa e tal..." Está bem, dona Maria, eu paro. Como é, e a charada?
- Eu...
- Vou lhe dar outra chance de ganhar umm colchão Celeste, nuvem anatômica, onda dá para dormir até de olhos fechados. Já que a senhora gosta tanto de dormir, não é, dona Maria? Estou brincando. Posso repetir, dona Maria?
- Sim, é que...
- Quando é que a mulher tira a roupa mais depressa? Cuidado com o que a senhora vai responder, dona Maria. Este é um programa de família.
- Programa?
- Nós estamos no ar, dona Maria. A Voz da Felicidade, com Amaro Amaral, o baixinho alto astral. Diga lá. A senhora tem mais um minuto. Acorda, dona Maria!
- É que eu estou meio zonza. Tomei uns comprimidos...
- O que é isso, dona Maria? Alegria não se compra em farmácia. Coisa e tal. E a charada?
- Tomei o vidro inteiro. Queria me matar.
- Não me diga isso, dona Maria! Que coisa feia. O mundo é tão bom.
- Não é não.
- Dona Maria, me dê o seu endereço que eu vou mandar um médico aí.
- Não, eu...
- Olha aí, produção. Vamos checar o número de telefone da dona Maria e descobrir o endereço dela. Dona Maria, por que a senhora fez isso? A senhora tem família, dona Maria? Como é o seu nome todo?
- Solidão...
- Maria Solidão. Olha aí, família Solidão, vamos dar uma mão.
- Há um ano que eu espero esse telefone tocar. Um ano. Hoje ele toca e...
- É a Voz da Felicidade, dona Maria, Ammaro Amaral, seu amigo matinal. Dona Maria, a senhora está me ouvindo?
- Mais ou menos.
- Não desligue, dona Maria! Nós vamos ajudá-la. Atenção, dona Maria. Sensacional. Acabam de me passar um bilhete do patrocinador dizendo que a senhora não precisa responder a charada. Já ganhou o supercolchão Celeste, nuvem anatômica. Veja só o que a senhora ia perdendo, dona Maria. O mundo é bom.
- Um ano sem tocar...
- Alô, dona Maria. Para onde a gente manda o colchão? Eu mesmo vou aí entregar o colchão, dona Maria. Amaro Amaral, seu amigo matinal. Coisa e tal. Nos dê seu endereço que...
- Solidão...
- Atenção. Acabo de ser autorizado pelo meus patrocinadores a revelar a resposta da charada. A senhora vai saber a resposta da charada e ainda ganha um super Celeste, nuvem anatômica, no mole. Tome nota dona Maria. Não desligue.
- Um ano... Nada... Ninguém...
- Não desligue, dona Maria. Mas ainda não descobriram essa porcaria de endereço? Atenção, dona Maria. A charada era, quando é que a mulher tira a roupa mais ligeiro. A resposta é, quando começa a chover. A mulher vai correndo tirar a roupa do varal. Entendeu, dona Maria?
- Ahn...
- A mulher vai correndo... Alô, dona Maria? Dona Maria?
- (Clic)


* * * * * * * * * *

Este conto foi transformado num curta-metragem em 1987 pelo diretor Nelson Nadotti, com a saudosa Isabel Ribeiro e Pedro Santos. Foi o melhor curta do Festival de Gramado de 1988, ganhando também os prêmios de melhor ator e atriz.

segunda-feira, 26 de novembro de 2012


Durante uma vida a gente é capaz de sentir de tudo, são inúmeras as sensações que nos invadem, e delas a arte igualmente já se serviu com fartura. Paixão, saudades, culpa, dor-de-cotovelo, remorso, excitação, otimismo, d
esejo – sabemos reconhecer cada uma destas alegrias e tristezas, não há muita novidade, já vivenciamos um pouco de cada coisa, e o que não foi vivenciado foi ao menos testemunhado
através de filmes, novelas, letras de música.

Há um sentimento, no entanto, que não aparece muito, não protagoniza cenas de cinema nem vira versos com freqüência, e quando a gente sente na própria pele, é como se fosse uma visita incômoda. De humilhação que falo.


Há muitas maneiras de uma pessoa se sentir humilhada. A mais comum é aquela em que alguém nos menospreza diretamente, nos reduz, nos coloca no nosso devido lugar - que lugar é este que não permite movimento, travessia?. Geralmente são opressões hierárquicas: patrão-empregado, professor-aluno, adulto-criança. Respeitamos a hierarquia, mas não engolimos a soberba alheia, e este tipo de humilhação só não causa maior estrago porque sabemos que ele é fruto da arrogância, e os arrogantes nada mais são do que pessoas com complexo de inferioridade. Humilham para não se sentirem humilhados.


Mas e quando a humilhação não é fruto da hierarquia, mas de algo muito maior e mais massacrante: o desconhecimento sobre nós mesmos? Tentamos superar uma dor antiga e não conseguimos. Procuramos ficar amigos de quem já amamos e caímos em velhas ciladas armadas pelo coração. Oferecemos nosso corpo e nosso carinho para quem já não precisa nem de um nem de outro. Motivos nobres, mas os resultados são vexatórios.


Nesses casos, não houve maldade, ninguém pretendeu nos desdenhar. Estivemos apenas enfrentando o desconhecido: nós mesmos, nossas fraquezas, nossas emoções mais escondidas, aquelas que julgávamos superadas, para sempre adormecidas, mas que de vez em quando acordam para, impiedosas, nos colocar em nosso devido lugar.


Por Martha Medeiros

quinta-feira, 22 de novembro de 2012

terça-feira, 20 de novembro de 2012

Se não era amor, era da mesma família.
Pois sobrou o que sobra dos corações abandonados.
A carência. A saudade. A mágoa.
Um quase desespero, uma espécie de avião em queda que a gente sabe que vai se estabilizar, só não se sabe se vai ser antes ou depois de
se chocar contra o solo.
Eu bati a 200 km por hora e estou voltando a pé pra casa, avariada.
Eu sei, não precisa me dizer outra vez.
Era uma diversão, uma paixonite, um jogo entre adultos.
Talvez este seja o ponto. Talvez eu não seja adulta o suficiente para brincar tão longe do meu pátio, do meu quarto, das minhas bonecas.
Onde é que eu estava com a cabeça, de acreditar em contos de fada, de achar que a gente muda o que sente, e que bastaria apertar um botão que as luzes apagariam e eu voltaria a minha vida satisfatória, sem seqüelas,
sem registro de ocorrência?
Eu não amei aquele cara. Eu tenho certeza que não.
Eu amei a mim mesma naquela verdade inventada.
Não era amor, era uma sorte.
Não era amor, era uma travessura.
Não era amor, eram dois travesseiros.
Não era amor, eram dois celulares desligados.
Não era amor, era de tarde.
Não era amor, era inverno.
Não era amor, era sem medo.
Não era amor. Era melhor.

Por Martha Medeiros

 
"Gaste seu amor. Usufrua-o até o fim.

Enfrente os bons e os maus momentos, passe por tudo que tiver que passar, não se economize.

Sinta todos os sabores que o amor tem, desde o adocicado do início até o amargo do fim, mas não saia da história na metade.

Amores precisam dar a volta ao redor de si mesmo, fechando o próprio ciclo.

Isso é que libera a gente para ser feliz de novo."

Por Martha Medeiros

"Eu sou assim, meio CERTA, meio ERRADA. Penso muito, falo muito. Talvez, seja personalidade ou pirraça. Não adianta, eu sou assim. Muitos não me entendem, outros nem tentam. Faço graça, sou alegre. Tento disfarçar, sou triste. Falo o que penso, sou sincera. Eu sou assim, meio CERTA, meio ERRADA."

Simples assim, amizades não devem ser amarradas por nós, precisam ser sustentadas através de laços.

Mas laços são frágeis, podem se desfazer a qualquer momento com um simples toque ou um rápido movimento.

Ao mesmo tempo sabemos que existem laços muito bem dados, com capricho, com carinho e que se tornam tão seguros que mais parecem nós. 

Mas, não se parecem com nós que apertam, que prendem, 
que são impossíveis de se desfazer.

Amizade é algo que precisa de liberdade e ao mesmo tempo de segurança 
e um laço bem dado pode ser desfeito a qualquer momento, 
mas pode também durar uma vida toda, basta ser muito bem cuidado.

De qualquer forma não podemos esquecer que certos nós também podem ser defeitos, aliás rapidamente desfeitos, algumas pessoas são especialistas nisso.

Digo tudo isso pensando em amizades que mais se parecem com obrigação e que vão se sustentando amarradas por nós enquanto o tempo vai esvaziando-as.

Um amigo verdadeiro não nos suga, não tripudia em cima de nós, não vive a mercê apenas dos seus próprios interesses, não exige, não impede o nosso direito de ir e vir.

Mas algumas amizades arrastam-se por aí amarradas por um nó, dependentes e em nome de um passado que se bem analisado não foi assim tão verídico. 

A vida passa e com o tempo conseguimos enxergar determinadas coisas que anteriormente não era possível.
O ser humano tem mesmo a fraqueza de colocar vendas 
nos olhos quando se encanta com alguém.

Não que amigos não possam ter defeitos, mas seus defeitos não podem ser direcionados a nós com o intuito de nos contrariar e prejudicar.

Já dizia o velho ditado - o tempo mostra quem é quem e ninguém
é capaz de se disfarçar a vida toda em alguém que não é.

Crie laços com as pessoas que te fazem bem, que lhe parecem verdadeiras 
e desfaça os nós que lhe prendem àquelas que foram significativas na 
sua vida, mas infelizmente, por vontade própria, deixaram de ser.

Nó aperta, laço enfeita... simples assim.
 
Por Oscar Mikail

domingo, 18 de novembro de 2012

sexta-feira, 16 de novembro de 2012




E alguém
Te encontra
Te reencontra
Te reiventa
Te reencanta
Te recomeça

"Quem nunca mergulhou numa paixão, não sabe o que é viver!"


Se você não está aqui, sem graça é o viver!
Mas não vou te perseguir, ou tentar prender.

Natural, como as flores que aparecem, sempre quando é verão..
Deve ser a vontade que alimenta nosso coração.

Onde exista um sentimento bom, eu quero ficar!
Num espaço ou numa canção que você está..


Penso em você, vejo o amor!
E posso sentir que você chegou!

Quando tiver que ir pra bem longe, vá!
Leve um beijo meu.


A distância nunca apagará o que não se esqueceu!

Natural como as flores que aparecem, sempre quando é verão..
Deve ser a vontade que alimenta nosso coração.

A saudade é um sentimento bom, quando vem dizer:

"Quem nunca mergulhou numa paixão, não sabe o que é viver!"

Natiruts - Musica- Supernova

quinta-feira, 15 de novembro de 2012

Homenagem ao dia da Umbanda, 15 de novembro.

 
Nossa querida Umbanda Sagrada.

Sem entender o que buscar,

sem saber para onde ir,
precisando ter algo para amar,
precisando de um caminho a seguir.

Busquei em sonhos de ilusão,

busquei em templos igrejas em geral,
ouvi pastores, padres e até um ancião,
mas nada me mostrava a diferença do bem e do mal.

No peito a angústia crescia,

um desespero tomava conta de mim,
já não suportando o dia após dia,
sentindo a esperança chegar ao fim.

Com lágrimas aos olhos ao céu eu clamei,

preciso urgente que me mostre um caminho,
do céu então uma voz escutei,
não se desesperes pois não estás sozinho.

Em toda sua volta tens uma proteção,

basta apenas ter fé para conquistar,
e uma a uma colocarei em teu coração,
que a partir de agora tu passarás a amar.

Para seu coração se acalmar,

eu lhe apresento Oxalá,
que é pai supremo da terra e do mar,
sendo também pai de todos Orixás.

Para que venças as guerras da vida,

Pai Ogum, vou lhe apresentar,
cavaleiro supremo da terra querida,
bravo General dos Campos do Humaitá.

Para que tu valorize as águas límpidas do rio,

veja aqui a deusa linda e honrosa,
Oxum, Orixá linda cheia de brio,
mãe sublime bela e carinhosa.

Para que sua fé cresça na sagrada justiça,

Pai Xangô desejo lhe apresentar,
poderoso Orixá de inteligência infinita,
voz de trovão grande poder para nos ajudar.

Para que respostas do vento possas escutar,

que seja noite, tarde, ou mesmo manhã,
lhe apresento linda jovem divina Orixá,
doce sublime guerreira mãe Iansã.

Pai Oxossi agora te apresento,

para as forças das matas tu conquistar,
ele está contigo a todo momento,
não temas pois ele nunca vai lhe abandonar.

Para que tu sintas o poder sem igual do mar,

apresento a ti uma irradiante Orixá,
deusa das águas com grande poder de amar,
rainha sereia, a linda mãe Iemanjá.

E se algum dia os males de uma doença lhe abater,

ao grande Orixá Obaluaiê peça proteção,
e se mesmo assim seu corpo a terrível doença não suportar,
rogue a pai Omulú que não deixe seu espírito na escuridão.

Nos momentos que desejares clareza de algo a fazer,

em tempos que precisa de sabedoria para refletir,
lhe apresentarei a senhora Nanã Buroquê,
a vovó Orixá que nunca erra como agir.

Quando sorrir e brincar estiver precisando,

Erês e Ibeijadas irei lhe mostrar,
são entidades anjos que por nós estão sempre clamando,
com sua alegria, carinho e seu grande poder de amar.

Também os Pretos Velhos desejo lhe apresentar,

pois com eles muito vais com certeza aprender,
com carinho e humildade muda seu jeito de pensar,
nos faz estender as mãos e ajudar partilhando sem querer receber.

Se algum dia a angústia tomar conta de seu coração,

sem os irmãos caboclos não deve ficar,
são Entidades lindas para sua proteção,
que com passes e ervas, essa angústia vai derrubar.

Para sua força crescer e a vitória vir por inteiro,

essa Entidade tem que a seu lado permanecer,
lhe apresento os Senhores Boiadeiros,
que com raça e perseverança os obstáculos vão sempre vencer.

Para proteção nos caminhos da noite conseguir,

e as demandas e mandingas do mal você vencer,
os irmãos Exús e Pombo giras você tem que admitir,
que são eles que vão a sua caminhada proteger.

Como você pode nesse momento notar,

acabei de te mostrar que não estais sozinho,
grandes proteções terás para te iluminar,
então erga sua cabeça e segues teu caminho.

Vá em frente sem se amedrontar,

siga com certeza essa linha de vida,
eu sou Zambi ou Deus, pai de Oxalá,
e estou mostrando a ti nossa Umbanda Querida.



Autor: Carlos do Ogum. 
Retirada da Fan Page Luz da Umbanda

terça-feira, 13 de novembro de 2012

Acordo todos os dias querendo te ver.....

 


"Eu acordo todos os dias querendo te ver, a primeira frase que me vem quando penso em você. Quero gritar pro mundo todo que eu só quero te querer, e não, não me importo, deixe que digam o que quiserem, eu desejo tanto te ter. A ansiedade eu sei que é bem maior, mas sei também que dá pra controlar. Hora sei que estou aqui, hora não sei até onde vou andar. Passar noites pensando no que poderia ter feito não é nada legal.  Eu quero a sua voz, eu quero você pra mim. Vem, não demora não. Só te peço por favor não desista, meu amor."


'Eu não desisto de você
Voce precisa entender
Que eu não me inspiro sem você
Sem voce eu não me inspiro
' .♫

Não tente entender nada......



Mantenha-se atrás da faixa amarela, não chegue muito perto,
 não acerque-se de meus traumas, não invada meus mistérios,
não atrite-se com o meu passado, não tente entender nada:
 é proibido tocar no sagrado de cada um. 
Por martha Medeiros   








Eu confesso, já passei dos 30 mas está valendo....


Quando chegar aos 30
serei uma mulher de verdade
nem Amélia nem ninguém
um belo futuro pela frente
e um pouco mais de calma talvez

e quando chegar aos 50
serei livre, linda e forte
terei gente boa ao lado
saberei um pouco mais do amor
e da vida quem sabe

e quando chegar aos 90
já sem força, sem futuro, sem idade
vou fazer uma festa de prazer
convidar todos que amei
registrar tudo que sei
e morrer de saudade.


Por martha Medeiros

Aprendendo a Desaprender



Passamos a vida inteira ouvindo os sábios conselhos dos outros. Tens que aprender a ser mais flexível, tens que aprender a ser menos dramática, tens que aprender a ser mais discreta, tens que aprender... praticamente tudo.


Mesmo as coisas que a gente já sabe fazer, é preciso aprender a fazê-las melhor, mais rápido, mais vezes. Vida é constante aprendizado. A gente lê, a gente conversa, a gente faz terapia, a gente se puxa pra tirar nota dez no quesito "sabe-tudo". Pois é. E o que a gente faz com aquilo que a gente pensava que sabia?


As crianças têm facilidade para aprender porque estão com a cabeça virgem de informações, há muito espaço para ser preenchido, muitos dados a serem assimilados sem a necessidade de cruzá-los: tudo é bem-vindo na infância. Mas nós já temos arquivos demais no nosso winchester cerebral.


 Para aprender coisas novas, é preciso antes deletar arquivos antigos. E isso não se faz com o simples apertar de uma tecla. Antes de aprender, é preciso dominar a arte de desaprender.

Desaprender a ser tão sensível, para conseguir vencer mais facilmente as barreiras que encontramos no caminho. Desaprender a ser tão exigente consigo mesmo, para poder se divertir com os próprios erros. Desaprender a ser tão coerente, pois a vida é incoerente por natureza e a gente precisa saber lidar com o inusitado. Desaprender a esperar que os outros leiam nosso pensamento: em vez de acreditar em telepatia, é melhor acreditar no poder da nossa voz. Desaprender a autocomiseração: enquanto perdemos tempo tendo pena da gente mesmo, os demais seguiram em frente.


A solução é voltar ao marco zero. Desaprender para aprender. Deletar para escrever em cima.
Houve um tempo em que eu pensava que, para isso, seria preciso nascer de novo, mas hoje sei que dá pra renascer várias vezes nesta mesma vida. Basta desaprender o receio de mudar.

Por Martha Medeiros

segunda-feira, 12 de novembro de 2012

Não se contam as ilusões.....


Não se contam as ilusões
nem as compreensões amargas,
não há medida para contar
o que não podia acontecer-nos,
o que nos rondou como besouro
sem que tivéssemos percebido
do que estávamos perdendo.

Perder até perder a vida
é viver a vida e a morte
não são coisas passageiras
mas sim constantes, evidentes,
a continuidade do vazio,
o silêncio em que cai tudo
e por fim nós mesmos caímos.

Ai! o que esteve tão cerca
sem que pudéssemos saber.
Ai! o que não podia ser
quando talvez podia ser.

Tantas asas circunvoaram
as montanhas da tristeza
e tantas rodas sacudiram
a estrada do destino
que já não há nada a perder.

Terminaram-se os lamentos.

Por Pablo Neruda

Gosto de gente assim.....





"Gosto de gente que tem tempo para sorrir bondade, semear perdão,dar espaço para as emoções dentro de si, emoções que fluem naturalmente de dentro de seu ser!"

Por Arthur da Távola 

A Vida.....




"A vida requer cuidado. Os amores também. Flores e espinhos são belezas que se dão juntas. Não queira uma só, elas não sabem viver sozinhas...
Quem quizer levar a rosa para sua vida, terá de saber que com elas vão inumeros espinhos. Não se preocupe a beleza da rosa vale o incômodo dos espinhos..."


Por Padre Fábio de Melo

quinta-feira, 8 de novembro de 2012

Será que isso já aconteceu com você.......


“Será que alguém já colocou uma foto minha como papel de parede? Será que alguém já foi a um lugar só por minha causa? Será que alguém esconde ciúmes por mim? Será que alguém já se distraiu no meio do dia para ficar lembrando do meu sorriso ou algo do tipo? Será que alguém abre minha janela do msn e fica sem coragem de falar comigo? Será que alguém pensa em mim sempre que vê um filme romântico? Será que alguém esta lendo isso e respondendo ”eu” para cada pergunta? Será?
 Por Tati Bernardi

Relacionamento à distância....


Me arrisco a dizer que relacionamentos à distância são mais fortes que todos. 

A saudade aperta, as horas não passam, o telefone parece insuficiente e o coração quase desiste.

Mas quando se reencontram é como se nada importasse mais do que aquele momento.

É como se todos abraços e beijos do mundo não fossem suficientes.

É como se a saudade inundasse no peito e transbordasse em alegria. Ficar juntos é a recompensa por aguentar tanto tempo separados. 

Caio Fernando Abreu

Quem sabe um dia....


Quem sabe um seremos
Quem sabe um viveremos
Quem sabe um morreremos!

Quem é que

Quem é macho
Quem é fêmea
Quem é humano, apenas!

Sabe amar

Sabe de mim e de si
Sabe de nós
Sabe ser um!

Um dia

Um mês
Um ano
Uma vida!

Sentir primeiro, pensar depois

Perdoar primeiro, julgar depois
Amar primeiro, educar depois
Esquecer primeiro, aprender depois

Libertar primeiro, ensinar depois

Alimentar primeiro, cantar depois

Possuir primeiro, contemplar depois

Agir primeiro, julgar depois

Navegar primeiro, aportar depois

Viver primeiro, morrer depois


Por Mário Quintana

Descrição


Não te abras com teu amigo
Que ele um outro amigo tem.
E o amigo do teu amigo
Possui amigos também... 


Por Mário Quintana

quarta-feira, 7 de novembro de 2012

Eu quero ........

 

"Eu quero um punhado de estrelas maduras, eu quero a doçura do verbo viver...”

Por  Caio Fernando Abreu

 
 
O Amor verdadeiro nem sempre dá ao receptor aquilo que ele gostaria de receber,
mas dar-lhe-á sempre aquilo que for melhor para ele.
Por isso, dá as boas vindas a tudo o que receberes, quer gostes, quer não.
Reflete sobre aquilo de que não gostaste e tenta compreender por que é que

foi necessário. Então a aceitação, será muito mais fácil.
 
David Icke

Recomeçar.....



Não importa onde você parou…
em que momento da vida você cansou…
o que importa é que sempre é possível e
necessário “Recomeçar”.

Recomeçar é dar uma nova chance a si mesmo…
é renovar as esperanças na vida e o mais importante…
acreditar em você de novo.
Sofreu muito nesse período?
foi aprendizado…
Chorou muito?
foi limpeza da alma…
Ficou com raiva das pessoas?
foi para perdoá-las um dia…
Sentiu-se só por diversas vezes?
é porque fechaste a porta até para os anjos…
Acreditou que tudo estava perdido?
era o início da tua melhora…
Pois é…agora é hora de reiniciar…de pensar na luz…
de encontrar prazer nas coisas simples de novo.
Que tal
Um corte de cabelo arrojado…diferente?
Um novo curso…ou aquele velho desejo de aprender a
pintar…desenhar…dominar o computador…
ou qualquer outra coisa…
Olha quanto desafio…
quanta coisa nova nesse mundão de meu Deus te
esperando.
Está se sentindo sozinho?
besteira…tem tanta gente que você afastou com o
seu “período de isolamento”…
tem tanta gente esperando apenas um sorriso teu
para “chegar” perto de você.
Quando nos trancamos na tristeza…
nem nós mesmos nos suportamos…
ficamos horríveis…
o mal humor vai comendo nosso fígado…
até a boca fica amarga.
Recomeçar…
hoje é um bom dia para começar novos
desafios.
Onde você quer chegar?
ir alto…sonhe alto… queira o
melhor do melhor… queira coisas boas para a vida…
pensando assim trazemos prá nós aquilo que desejamos…
se pensamos pequeno…
coisas pequenas teremos…
já se desejarmos fortemente o melhor e principalmente
lutarmos pelo melhor…
o melhor vai se instalar na nossa vida.
E é hoje o dia da faxina mental…
joga fora tudo que te prende ao passado… ao mundinho
de coisas tristes…
fotos…peças de roupa, papel de bala…ingressos de
cinema, bilhetes de viagens…
e toda aquela tranqueira que guardamos
quando nos julgamos apaixonados…
jogue tudo fora… mas principalmente…
esvazie seu coração… fique pronto para a vida…
para um novo amor…
Lembre-se somos apaixonáveis…
somos sempre capazes de amar muitas e muitas vezes…
afinal de contas…
Nós somos o “Amor”…

“ Porque sou do tamanho daquilo que vejo, e não do
tamanho da minha altura.”



Por Carlos Drummond de Andrade

segunda-feira, 5 de novembro de 2012

A OBSESSÃO PELO MELHOR


Mas até que ponto realmente queremos este melhor?? Será que é tão dificil assim nos contentarmos com o que é bom para nós? Parece que tudo virou uma competição entre as pessoas, umas querendo ser, e aparecer, mais que as outras... Mas eu já decidi, não vou ser assim, eu quero ser feliz! E você???....

Estamos obcecados com "o melhor". Não sei quando foi que começou essa mania, mas hoje só queremos saber do "melhor".
Tem que ser o melhor computador, o melhor carro, o melhor emprego, a melhor dieta, a melhor operadora de celular, o melhor tênis, o melhor vinho.
Bom não basta.
O ideal é ter o top de linha, aquele que deixa os outros pra trás e que nos distingue, nos faz sentir importantes, porque, afinal, estamos com "o melhor".
Isso até que outro "melhor" apareça - e é uma questão de dias ou de horas até isso acontecer. Novas marcas surgem a todo instante.
Novas possibilidades também. E o que era melhor, de repente, nos parece superado, modesto, aquém do que podemos ter.
O que acontece, quando só queremos o melhor, é que passamos a viver inquietos, numa espécie de insatisfação permanente, num eterno desassossego.
Não desfrutamos do que temos ou conquistamos, porque estamos de olho no que falta conquistar ou ter. Cada comercial na TV nos convence de que merecemos ter mais do que temos.
Cada artigo que lemos nos faz imaginar que os outros (ah, os outros!...) estão vivendo melhor, comprando melhor, amando melhor, ganhando melhores salários.
Aí a gente não relaxa, porque tem que correr atrás, de preferência com o melhor tênis. Não que a gente deva se acomodar ou se contentar sempre com menos. Mas o menos, às vezes, é mais do que suficiente. Se não dirijo a 140, preciso realmente de um carro com tanta potência?
Se gosto do que faço no meu trabalho, tenho que subir na empresa e assumir o cargo de chefia que vai me matar de estresse porque é o melhor cargo da empresa? E aquela TV de não sei quantas polegadas que acabou com o espaço do meu quarto?
O restaurante onde sinto saudades da comida de casa e vou porque tem o "melhor chef"'?
Aquele xampu que usei durante anos tem que ser aposentado porque agora existe um melhor e dez vezes mais caro? O cabeleireiro do meu bairro tem mesmo que ser trocado pelo "melhor cabeleireiro"?
Tenho pensado no quanto essa busca permanente do melhor tem nos deixado ansiosos e nos impedido de desfrutar o "bom" que já temos.
A casa que é pequena, mas nos acolhe.
O emprego que não paga tão bem, mas nos enche de alegria. A TV que está velha, mas nunca deu defeito.
O homem que tem defeitos (como nós), mas nos faz mais felizes do que os homens "perfeitos".
As férias que não vão ser na Europa, porque o dinheiro não deu, mas vai me dar a chance de estar perto de quem amo.
O rosto que já não é jovem, mas carrega as marcas das histórias que me constituem.
O corpo que já não é mais jovem, mas está vivo e sente prazer.
Será que a gente precisa mesmo de mais do que isso? Ou será que isso já é o melhor e na busca do "melhor" a gente nem percebeu?...

 Por Leila Ferreira